Ampla especialização no atendimento à saúde da mulher

  • Ginecologia
  • Obstetrícia
  • Ultrassonografia
  • Medicina Fetal

É a especialidade da medicina que cuida da saúde do aparelho reprodutor feminino (vagina, útero, ovários) e das mamas, desde a infância até a terceira idade. Seu significado literal é “ciência da mulher”.

As consultas com um médico ginecologista devem acontecer pelo menos 1 vez por ano, a partir da primeira menstruação.

Esse intervalo deve ser sempre mantido para que o acompanhamento seja feito de forma satisfatória.

Durante a consulta de rotina anual além de saber de queixas e dúvidas das pacientes para que as mesmas possam ser tratadas, o médico ginecologista prescreve alguns exames preventivos fundamentais para avaliação e garantia de uma boa saúde sexual, reprodutiva e hormonal para a mulher, como por exemplo: ultrassonografias mamárias e transvaginais, Papanicolau, exames de sangue e urina, etc.

 

Os principais problemas tratados por um ginecologista são:

- Distúrbios do ciclo menstrual (amenorreias, dismenorreias);

- Orientação de métodos contraceptivos;

- Tratamento de endometriose e outras causas de dor pélvica;

- Infertilidade feminina;

- Doenças sexualmente transmissíveis;

- Infecção pelo HPV e lesões precursoras de Câncer de colo do útero;

- Vaginites;

- Prolapso de órgãos genitais;

- Incontinências Urinarias.

O Obstetra é o médico especialista que presta assistência à mulher nos períodos da gravidez, parto e pós-parto (puerpério), além de cuidar do desenvolvimento do feto.

É o médico que realiza o pré-natal, monitoramento ambulatorial da gestante durante os meses de gestação, com no mínimo 6 consultas, que permite o acompanhamento, diagnóstico e o tratamento de doenças pré-existentes ou das que podem surgir na gravidez.

É o momento que a gestante recebe informações sobre seus direitos, hábitos saudáveis de vida (alimentação, exercícios etc.), medicamentos que precisa tomar e os que deve evitar e as mudanças que ocorrem durante a gravidez, como a maior incidência de sono e alterações no ritmo intestinal. Também é orientada sobre sinais de risco em cada etapa da gravidez, como lidar com dificuldades de humor, temores em relação à sua saúde e a saúde do bebê, enjoos, inchaço, manchas na pele e sinais de trabalho de parto.

 

Parto humanizado

O parto humanizado é feito com a menor quantidade possível de intervenções. Quando são feitas, são sempre baseadas em evidências e argumentos científicos comprovados. Esse modelo também busca seguir orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), como o corte tardio do cordão umbilical.

Parto humanizado não se limita apenas ao momento do nascimento do bebê mas sim à todo processo da gestação, do nascimento e do pós-parto. Antes, durante e após o parto a intervenção médica ocorre pela demanda fisiológica da gestante e do bebê. No parto humanizado não existe um procedimento específico ou normas rígidas a serem adotadas, visto que cada ser humano é diferente, e portanto, cada situação clínica também é.

Pessoas e até médicos podem confundir erroneamente o termo parto humanizado como sinônimo de parto sem anestesia, parto na banheira ou parto em domicílio. Entretanto, as práticas de parto humanizado são entendidas como um conjunto de ações que individualizam a atenção à gestante e ao bebê em um aspecto mais humanizado e acolhedor.

Apesar de haver grupos que defendem o contrário, o modelo humanizado não necessariamente será um parto normal. Parto humanizado também é respeitar os níveis de segurança. Se a mulher está em uma condição na qual precisa de cirurgia, ela deve fazê-la. A cesariana, quando bem indicada, também é humanização.

É importante ressaltar a necessidade de acompanhamento de profissionais de saúde habilitados em todo o processo.

A ultrassonografia ou ecografia é um método diagnóstico que utiliza o eco gerado através de ondas ultrassônicas de alta frequência para visualizar, em tempo real, as estruturas internas do organismo, e no caso das gestantes, o feto. Por meio de uma ultrassonografia com doppler, o médico é capaz de ver o fluxo sangüíneo nos principais vasos.

 

Tem como principais vantagens:

▪ Não é um exame caro;

▪ É de rápida execução;

▪ É realizado em tempo real;

▪ Permite maior contato entre o paciente e o médico;

▪ Pode ser feito com um instrumento ao lado da cama do paciente;

▪ É seguro, pois não utiliza radiação

 

Aqui na clínica, além das ultrassonografias gestacionais, trabalhamos com todos os tipos de ultras da rotina feminina, como transvaginal, mamária, pélvica, das vias urinárias, etc.

É a subespecialidade da obstetrícia que busca segurança em relação ao desenvolvimento fetal e às patologias maternas.

O fetólogo, médico com habilitação na especialidade, utiliza a ultrassonografia para fazer avaliação do crescimento e formação fetal, do início ao fim da gestação. Ele que irá investigar se o bebê possui malformações, síndromes genéticas (como a síndrome de Down e outras), e acompanhar o crescimento fetal. Também faz rastreio e prevenção de doenças maternas, como a pré-eclâmpsia e o parto prematuro. Realiza também exames invasivos, como a amniocentese e a cordocentese, além de cirurgias intra-útero, quando indicadas (transfusão de sangue em fetos com anemia, correção de mielomeningocele, entre outras).

Quer receber conteúdos úteis e novidades a cada 15 dias direto no seu email?

Cadastre-se na nossa newsletter!

Clinica Nattus

Rua Engenheiro Enaldo Cravo Peixoto, Nº 105 – Sl. 613 / Tijuca – Rio de Janeiro

Siga-nos nas Redes Sociais:

Desenvolvido por: GLUE DESIGN STUDIO